8.3.08

Novela sonora(episódio primeiro)

Naquele apartamento havia o rapaz e um monte de caixas. no angustiante momento em que se via era obrigado a sair daquela apatia que sempre o definiu como homem de ócio. era decisão complicada aquela, porque quando por fim decidisse agir, iria assumir aquela temida posição de o homem da casa.

apesar do status de vazio já tivesse sido retirado daquela moradia desde que aquelas diversas caixas tivessem chegado ali com a mudança. esse era o sentimento que ainda passava por aquele lugar.

ficou admirando todo aquela labuta que iria ter, e para afastar a responsabilidade o rapaz meio que inconscientemente puxava um daqueles cigarros que sempre prometia a mãe que iria parar de fumar.

no começo foi para a janela e depois sentou em uma das caixas, ia sentar. quando ia encostar a bunda na caixa Ouviu,

 

Só podia ser um anjo que cantava...

4 comentários:

Rebeca dos Anjos disse...

Eu vejo caixas como vejo a liberdade. Ele tbm, pq ouviu anjos cantando.

(Se é novela, eu me coloco junto com o personagem, rs!)

Fiquei feliz porque vc escreveu e pq e novela =P

Anônimo disse...

Este texto me lembrou uma fotografia em preto e branco...parece que o momento(da personagem)foi narrado como se fosse visto por dentro.

Um grande Abraço!!

fabiano Silmes disse...

Obs:Bruno me enrolei aqui e meu coment acabou saindo anônimo...

Sumaya disse...

Ebbaaa!!Continuação!continuação!Bjins