6.7.10

Engano

A rua até que estava vazia, o que dava a Alfredo tempo suficiente pra se deter nas minuncias da camisa estampada com calhambeques do sujeito que vinha em sentido oposto. Antes mesmo que ele tivesse tempo de refletir sobre seu amor por automóveis e se perguntar sobre onde poderia comprar uma roupa parecida, aparece um gordinho logo atrás vestido do mesmo jeito.

Suzana namorada de Alfredo ao ver o olhar perdido do rapaz enquanto se perguntava quais eram as chances de uma coisa daquelas acontecer, percebeu que o olhar do rapaz mirava uma loura com qualidades californianas. As púpilas de Alfredo estavam dilatadas.

Enquanto passava pelo casal em briga, Joanna Kelly, loura com atributos frontais invejaveis mais pela qualidade do decote escolhido no dia do que por talento genético, escolhia Suzana como heroína particular. Concluí que também pode ser uma mulher com mais atitude e logo passa a mão no seu celular rosa choque brilhante-neón.

No escritório particular, o Sr. Paulo, ocupado e com as qualidades auditivas reduzidas, nem se dá conta do telefone móvel vibrando logo ao seu lado. Está mais preocupado com as dívidas espalhadas sobre a mesa sem muito sentido com a vida que leva e com a amante que não se satisfaz com menos do que muito.

Sua esposa, conscientemente, esquecida da deficiência do marido fica feliz com sua indiferença com o número já conhecido e agradecida dá um beijo na careca do homem, que sorri enquanto com um movimento furtivo se permite esconder os papeis que tanto mexia.

Renatinha, filha de Roberta, a empregada da casa, enquanto passa ao lado do aposento vê o casal maduro e apaixonado, sorri e diz pra sua mãe.

-Já sei o que quero ser quando crescer.

A mãe já concluindo que sua filha tinha decidido casar com um homem de posses e ficar bem de vida, já quase planejando a conversa com as amigas fofoqueiras da rua das Marrecas se pega surpresa quando a menina interrompe suas certezas.

-Quero ser feliz.




Vale como retorno... Tem um bom tempo mesmo que não escrevia...

5 comentários:

Rebeca dos Anjos disse...

Ficou lindo esse novo blog velho, hein??

E o texto, atribulado que só, lembra rodovia caótica de cidade cinza: em cheiro, som e velocidade.

Tava com saudade de me inspirar com esse monte de talento, mocinho querido-pra-sempre! =))

Beeeeijo.

vonomatopeia disse...

aaaah que saudade que eu tava de vir aqui! :)

VELOSO disse...

MUITO BOM SEU BLOG E SEUS TEXTOS PARABENS!

Eder Gomes disse...

Maravilhoso isso ...

Eder Gomes disse...

Estava relendo hoje ... Já disse o quão maravilhoso é isso ...