24.3.06

Biggs e Wedge

Tão poucos dias que impressionava tanta mudança. Biggs e Wedge ainda guardavam um monte de confusões em suas cabeças...
Em tempos que não conseguiam contar com precisão de relógio tinham estado presos, parados, congelados em momento nenhum em lugar que não existia.
O lugar não existia, mas tinha nome.
Era Azin-lah que brotava em cabeças.

A cidade secreta com nome que engana.
Em barras de montanhas estavam presos.
A saída da cidade sem estrada sofria de ausências de liberdades.

Não podiam sair, mas sairam. Sairam, foram salvos.
Eram naga, o povo serpente. E questionavam qual era a função que desempenhavam no grupo que os tinham salvado.

Azáali, a naialli, falava com pedras e rios e chamava a libélula.
Shaitan, o shiin, lutava as quatro espadas.
Zirrak, o zingara, era aquele que se escondia nas sombras
e Jarsbüh, o naga mago, era aquele que as chamas dominava.

Não eram magos poderosos, tão pouco guerreiros experientes. Biggs sabia um pouco de espada e Wedge quase nada de fetiçaria.

E naquela reflexão de quem pensa que o shiin falou na interrupção de quem ouve. Cabe um espacinho parênteses no que se quer falar o que é shiin:
(Era povo de rosto bonito e corpo esguio. Com orelhas pontudas.
Com traços delicados. Era o povo de quatro braços)

Aquele sorriso delineado abaixo dos olhos com linhas em preto, dizia:

"Durmam, amanhã é um longo dia."

"E agradeçam, a pouco saimos das montanhas de vidro."

Biggs e Wedge, então dormiram o sono dos intranquilos...
A chave ainda era um problema.

De novo um pedaço do meu jogo...

4 comentários:

Olhos Clínicos disse...

Meu Deus! Vc está apaixonado pelo jogo!!! Qual deles, rs!!!

Esse lugar que não existe, existe belamente, hein!!! Acho melhor ler sobre ele. Parece que entendo mais assim...

Amo Você!

Leo_London disse...

E aí, Bruno!?
Finalmente tive paciência de visitar blogs alheios, e posso te dizer q o seu tem layout e textos bastante bons.
A fantasia do RPG é fascinante e tô sabendo que você gosta bastante!
Biggs é um ótimo nome para personagem.

Um abraço.

Marcelo Soli disse...

pegou o gosto de brincar de Deus, hein?! "mestre"...uhauhauha

Mais um pedacinho do seu mundo...e quando teremos acesso a trilogia completa?! rs

Gilbeeeeerto, o pray de Icaraí. disse...

Muito bom, cabeça. Ótimo :D
Consegui arranjar um tempinho pra vir aki ler, viu? ;)
Abraços.