1.7.06

A criação de Feeria

Antes havia o sonho,
E foi do sonho que tudo começou,
pois Ele dormia por que não existia nada que pudesse olhar.

Foi em sonho que surgiram as cores,
tão belas, que o fizeram chorar.
tão bonitas, e o seu coração a cantar.
E nos sonhos das cores viu que queriam andar.

Foi em lugar estranho, onde não existia o aonde.
As cores paradas dormiam.

Ele era bom e deu terra para que andassem.
E começaram a se misturar e a outras cores criar.

E outras cores eliminar.
O sonho ia escurecendo, as cores iam se subjugando.

Foi uma época estranha, quando não existia o quando.
E as cores não podiam ser punidas.

Ele era justo e fez o antes para que as cores fossem julgadas pelo que tinham feito.
E começaram a carregar caminhos andados.

Abriu os olhos
viu cores,
a cada uma sussurrou um nome,
e a todas chamou de deuses.

Mas não disse seu nome,
chamaram-no de deus que despertou.

E deu a cada um dos deuses uma ferramenta.

3 comentários:

Marcelo Soli disse...

que mundo é esse que nasce das suas palavras?!
estaria novamente brincando de Deus?!

muito bela essa introdução para alguma coisa que espero algum dia ler...

Rebeca dos Anjos disse...

Pensando...

tic-tac, tic-tac, tic-tac...

Questionando...

tic-tac, tic-tac, tic-tac...

Concluindo:

Essas histórias tem um quê de vida. Filósofo esse meu namorado? Ou seria eu?

Amu ocê!

Vortex Project disse...

Muito bom cabeça, uma nova fase para o rpg,que agora se mistura à poesia e filosofia, pena que naum consegui jogar ainda, mais estou me amarrando em interagir com Feeria através da criação de estórias.
Abs
r@tQ