14.10.05

Por trás do véu dos olhos distantes

Aquilo estava ocupando um grande naco do seu pensador, seria uma daquelas pessoas chatas e desinteressantes se desse a oportunidade para si mesmo.

Preferia ficar calado.

Com aqueles pensamentos que se regurgitavam indefinidamene. Pensamentos que se olhavam no espelho sem se cansar nunca. Eram assim, vaidosos e narcisistas.

E toda essa arrogância os fazia espaçosos.

Como eram inconvenientes, não permitiam os outros nem mesmo esticarem suas pernas. Estavam lá deitados.

E os outros pensamentos se sentiam melindrados em presença tão áurea. Era assim porque eram pensamentos bonitos. Toda aquela indelicadeza que se demonstrava inoportuna vinha da certeza de toda sua beleza.

Ô, pensamentozinhos mais graciosos.

E sabiam dançar...

Sentiam cíumes os outros pensamentos, mas eram honestos e justos.
(tentavam)

Batiam palmas, aqueles dançavam muito bem...

8 comentários:

Suka disse...

Caramba, conflitos colocados de forma poética!!! O negócio tá muito bão hein! Bem achei bonito!
Beijinhos, vc é 10!

Beca disse...

Acabei de reler...
Ficou genial isso!!! Pra falar a verdade reli várias vezes e me identifiquei muito!!!
GENIAL...

Mil beijocas (...)!!!

ludmilesca disse...

Espaço para pensamentos nada bonitos.
Existem vários eus?
Que bom caos!

O empírico disse...

Não existe conflito algum, só uma hierarquia de pensamentos.

Vencem os pensamentos médios pela beleza que tem, e deixam aqueles sem espaço!

mas que é bom, ah, isso é!

O empírico disse...

Quero dizer os pensamentos médios são vencidos! Ah, vai! Vcs entenderam!!!

Olhos Clínicos disse...

Olá querido Vento...

Estou divulgando...
(...)!!!

Marcelo Soli disse...

Vencem?

kitsune disse...

(anunciando minha volta)
hunf... isso tá parecendo nietzsche meio disfarçado....sempre tem um q vence... mas o texto tá poético, bem construído!