11.9.05

O menino que queria encontrar Deus

O menino sabia que queria encontrar Deus.
Só sabia disso.
Não sabia mais de nada.

Como poderia ter certeza? Era um mundo estranho com olhares estranhos. Vários telefones tocando ao mesmo tempo. Talvez. Quem sabe talvez? Um deles tivesse a resposta.

Mas não havia tempo. Sabia. Não conseguiria atender todos.

Ninguém poderia dizer que não tentava.

Tentava, era verdade. E o suor era companheiro constante de sua testa pensante.

E como pensava.

Começou com esse negócio de pensar desde há muito tempo. E pode-se dizer que nem se lembrava qual foi o objeto que deveria agradecer/maldizer por colocá-lo em tal caminho.

Sabia.
Acreditava.

Não há caminho certo. Existem vários. E ele cavava, e cavava para achar o seu. Mas resposta nenhuma tinha achado do paradeiro de Deus.

Onde estaria? Se estaria?

Perguntava aqui.



Perguntava acolá.


Mas ninguém parecia saber.

“Deus estava pra todo lado, não tinha tempo pra responder perguntas diretas”, era o que diziam.

Mas nessa conversa esse menino não acreditava não.”É muito fácil”, dizia, “pessoas que não pensam dizem essas coisas por que não devem falar a língua Dele. Fazem isso por que a vida fica mais fácil.”

Ora, se estava por todo lado, ele devia falar muito!
E por que não responderia a perguntas diretas

Continuava a procurá-Lo.

(estou pensando em escrever algo mais longo com isso, mas tenho que trabalhar a idéia com certeza)

5 comentários:

cat disse...

O problema é o de ENCONTRAR deus ou ACREDITAR na existência de deus? a primeira opção, obviamente, denotaria q o menino já acredita em deus. a segunda não, mas seria uma questão estranha (meio sem importância), de já acreditar nele e querer tanto encontrá-lo. um amigo pediu pra q eu transcrevesse a seguinte sentença "Onde está deus.... agora?" faz sentido pra vc?

O empírico disse...

Mas onde esta Deus? O que é Deus?

Procurar por algo não se tem certeza que vai achar não é infrutifero ao meu ver...

As vezes só a ação de procurar é trabalho que gera retorno...

E sim(hehehe) a pergunta faz sentido!

catarina disse...

vc acabou por responder à minha pergunta original. o menino não acredita, ele suspeita que deus (ou algo parecido) existe, não é? Lembre-se que acreditar é uma palavra afiadíssima.
E sim, concordo! Nesse sentido, procurar é realmente muito bom, é ir em frente.
^^

O empírico disse...

É mais ou menos isso... é que a parada é meia metafórica: é como se Deus existisse com certeza. Mas de que forma??

ludmilesca disse...

Eu sempre escrevo com as minhas palavras, mas preciso declarar o que me lembrou esse texto:



Medo de Deus
Paulinho Moska
Composição: Paulinho Moska

Às vezes tenho medo de Deus
Dos dias que Ele acorda de mau humor
Às vezes tenho medo do Seu Amor

Às vezes tenho pena de Deus
Das noites que Ele bebe e não sabe o que faz
Depois põe a culpa no destino e se esconde atrás

Quando decide que alguém tem que partir
Quando Ele dorme ou se distrai

Às vezes tenho raiva de Deus
Quando Ele se mostra cego como uma lâmpada queimada
E surdo como uma pedra dentro d'água

E às vezes sinto falta de um deus
Que realmente cuide bem do seu asilo de loucos
E nos dê finalmente uma vida guardada pra poucos

Porque essa dor sem nome tem que ter fim:
A dor de não saber de onde eu vim

Paulinho Moska

Eu tenho medo de encontrar Deus...