27.6.05

Do objetivo dos homens cap XVII

Olhou para cima e teve medo

Lá tinha montanha
Lá tinha neblina
Lá tinha?

Olhou para baixo

Podia sentar

Aristóteles dizia que o homem carecia de um sentido para sua vida para se fazer homem. As pessoas precisariam de uma lógica que justificasse suas vidas. Fosse Deus, fosse filosofia, ou o que quer que fosse.
Este empírico acredita nisso, acredita no Devir do Super-homem como objetivo.
O Devir é um constante movimento, para Heráclito tudo o que poderia defenir alguma coisa como existente era o que existia em movimento. Se um homem entrasse em um rio, quando saísse tanto o homem quanto o rio não seriam mais os mesmos. Esse movimento contante de transformação quer seria o Devir.
Pelo que esse empiríco apreendeu de Nieztche, e nem terminei de ler o único livro dele que tive contato, - Alias leiam Assim Falou Zaratustra, a coisa é muito boa - O Super homem é um objetivo que deveria ser buscado pelo homem que procurasse a superação. Os homens não deveriam se satisfazer com aquilo que é dito normal e imposto por uma instância dita maior, mas procurar crescer nunca se satisfazendo consigo mesmos.
No que entendi de Assim Falou Zaratustra, o Super Homem é um movimento que não acaba em vida, ele precede a vida dos homens. Assim o movimento em direção do Super Homem, que chamo aqui de Devir do Super Homem, é uma tarefa atemporal e infinita.
A superação deve ser o objetivo do homem.

E é nisso que esse empiríco acredita.

2 comentários:

Eduardo Lima disse...

Bom... achei celestial o seu texto! não tenho nada a contestar.. (é uma pena) dessa vez todos os "eus" concordam plenamente contigo. acredito em outras coisas, mas também nisso: o homem é uma ponte, é algo q deve ser superado.

O empírico disse...

Me sinto imensamente orgulhoso de conseguir uma disputa intelectual com todos os seus "eus"...
Que nossa religião amigo, seja a ponte. Que ela seja o motivo de continuarmos caminhando, o destino de nosso corpo é a morte. Que seja o destino da humanidade o super-homem.